segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Os Nomes do Renascimento Italiano

Pintores:Pablo Picasso,Leonardo da Vinci,Rafael Sanzio,Michelangelo,Botticelli.

 Presidentes:Luigi Einaudi,Enrico de Nicola,Alcide de Gasperi,Cesare Merzagora,Antonio Segni e Giovanni Leone.


Pablo Picasso:Foi reconhecidamente um dos mestres da arte do século XX. É considerado um dos artistas mais famosos e versáteis de todo o mundo, tendo criado milhares de trabalhos, não somente pinturas, mas também esculturas e cerâmica, usando, enfim, todos os tipos de materiais. Ele também é conhecido como sendo o co-fundador do Cubismo, junto com Georges Braque.

 
Leonardo da Vinci :É considerado por vários o maior gênio da história, devido a sua multiplicidade de talentos para ciências e artes, sua engenhosidade e criatividade, além de suas obras polêmicas. Num estudo realizado em 1926 seu QI foi estimado em cerca de 180.[10][11]



Rafael Sanzio: Em italiano Raffaello Sanzio; Urbino, 6 de abril de 1483 — Roma, 6 de abril de 1520), frequentemente referido apenas como Rafael, foi um mestre da pintura e da arquitetura da escola de Florença durante o Renascimento italiano, celebrado pela perfeição e suavidade de suas obras. Também é conhecido por Raffaello Sanzio, Raffaello Santi, Raffaello de Urbino ou Rafael Sanzio de Urbino.









Michelangelo: Ele desenvolveu o seu trabalho artístico por mais de setenta anos entre Florença e Roma, onde viveram seus grandes mecenas, a família Medici de Florença, e vários papas romanos. Iniciou-se como aprendiz dos irmãos Davide e Domenico Ghirlandaio em Florença. Tendo seu talento logo reconhecido, tornou-se um protegido dos Medici, para quem realizou várias obras. Depois fixou-se em Roma, onde deixou a maior parte de suas obras mais representativas. Sua carreira se desenvolveu na transição do Renascimento para o Maneirismo, e seu estilo sintetizou influências da arte da Antiguidade clássica, do primeiro Renascimento, dos ideais do Humanismo e do Neoplatonismo, centrado na representação da figura humana e em especial no nu masculino, que retratou com enorme pujança.


 Botticelli: foi um célebre pintor italiano da Escola Florentina do Renascimento. Igualmente receptivo às aquisições do introduzidas por Masaccio na pintura do Quatrocento e às tendências do Gótico tardio, seguiu os preceitos da perspectiva central e estudou as esculturas da Antiguidade, evoluindo posteriormente para a acentuação das formas decorativas e da atenção dispensada à harmonia linear do traçado e ao vigor e pureza do colorido. Suas obras tardias revelariam ainda um expressionismo trágico, de agitação visionária, fruto certamente da pregação de Savonarola.  


Luigi Einaudi :(Carrù, 24 de março de 1874 — Roma, 30 de outubro de 1961) foi um economista, políticoPresidente da República Italiana, eleito em 11 de maio de 1948 (no quarto escrutínio). Terminado o mandato tornou-se Senador vitalício na condicação de ex Presidente da República.


Enrico De Nicola: (Nápoles, 9 de novembro de 1877 — Torre del Greco, 1 de outubro de 1959) foi um advogado e político italiano. Foi o primeiro Presidente da República Italiana. Foi eleito presidente provisório da assembléia constituinte do estado, naquele momento, até o dia 1º de janeiro de 1948, em que é públicada a nova constituição republicana, da Itália, cuja qual atribuia a ele de forma provisória a presidência da República Italiana de fato, até o dia 12 de maio de 1948. Antes desse momento, era presidente da Câmara dos Deputados, entre 26 de junho de 1920 até 25 de janeiro de 1924.
Advogado, especializado na área Penal, de renome nacional, tinha como ideologia política, o liberalismo de Giolitti, foi eleito deputado, pela primeira vez, em 1909, pelo colégio eleitoral, de Afragola, e assim permaneceu até a XXVI Legislatura, cuja qual deixa o poder, em função a Marcha sobre Roma, organizada pelos fascistas, em 1922.


 Alcide de Gasperi: (Pieve Tesino, 3 de Abril de 1881 — Borgo di Valsugana, 19 de Agosto de 1954) foi um político democrata cristão italiano. Ocupou os cargos de presidente e primeiro-ministro da Itália e juntamente com Konrad Adenauer, Robert Schuman e Jean Monnet é considerado como um dos "pais da Europa".
Hostil aos fascistas, é preso em 1927 e condenado a quatro anos de prisão, mas passados dezasseis meses foi libertado graças à intercessão do Papa. Activo na resistência durante a Segunda Guerra Mundial, fundou o partido da Democracia Cristã.
Ocupando o cargo de primeiro-ministro de 1945 a 1953, implantou uma reforma agrária para o sul e centro da Itália. Na política externa, procurou aproximar-se dos países ocidentais e assinou o Tratado do Atlântico Norte (OTAN/NATO). Contribuiu, deste modo, para a reconstrução material e moral do seu país no após-guerra.
Declarado Servo de Deus, está em curso o seu processo de beatificação pela Igreja Católica.


Cesare Merzagora:Foi um político italiano do Milan. Foi Presidente do Senado italiano 1953-1967, e foi também desempenha as funções de presidente da Itália, em 1964, no período entre a demissão de Antonio Segni ea eleição de Giuseppe Saragat. Merzagora foi nomeado senador vitalício em 1963.
Apesar de ser um ateu sincero, ele foi executado como um candidato da Democracia Cristã italiana, e era filiado a esse partido durante toda a sua carreira política, apesar de ele nunca se tornou seu membro oficial.
Morreu em Roma.



 Antonio Segni: (Sassari, 2 de Fevereiro de 1891 — Roma, 1 de Dezembro de 1972) foi um político e quarto Presidente da República Italiana. Ocupou anteriormente o cargo de primeiro-ministro de seu pais por duas legislaturas.


Giovanni Leone (Nápoles, 3 de Novembro de 1908 — Roma, 9 de Novembro de 2001) foi um político e sexto Presidente da República Italiana, eleito depois de 23 escrutínios). Terminado o mandato tornou-se Senador vitalício na condicação de ex Presidente da República. Ocupou também, brevemente, o cargo de primeiro-ministro pode duas legislaturas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário